Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Editora Mulheres

Editora Mulheres

28/06/16

Alegria x Tristeza: Conheça a Neuróbica

Alegria x tristeza

Pessoas felizes não ficam tristes tão facilmente. Isso acontece porque elas gostam de vivenciar a sensação proporcionada por aquela emoção (alegria). O mesmo se aplica à pessoas deprimidas, que apresentam uma dificuldade em sair da depressão porque seus cérebros estão mergulhados em neurotransmissores ligados à tristeza. Esse efeito é similar ao de uma droga. Assim, os neurotransmissores também tem papel importante em nossas emoções.

Logo, é fundamental que as pessoas treinem e lutem contra as sensações de ira, raiva e depressão. Isso não deve ser feito no sentido de abafá-las, mas sim de canalizá-las para melhores emoções. Assim, as pessoas conseguirão não só ter uma vida mais tranquila e evoluída, como também aprender novos conhecimentos, serem mais criativas e até mesmo prevenirem doenças neurológicas.

Neuróbica: exercícios para o cérebro

Conquistar o cérebro dos sonhos não é algo fácil e envolve a prática constante da chamada neuróbica, que consiste na realização de exercícios direcionados ao cérebro. Para obter esses benefícios, basta aplicar o treinamento em questão em um ambiente adequado, praticar atividade física e cuidar da alimentação (ingestão de ômega-3, proteínas etc.).

27/06/16

O Fantástico Cérebro Humano

Complexidade do cérebro humano

O cérebro, um dos órgãos mais complexos do corpo humano, controla nossos pensamentos, sentimentos e movimentos. A evolução levou à consolidação de diferentes tipos de cérebros nos animais, e mesmo dentro da espécie humana os cérebros diferem uns dos outros, e conforme a forma com que o utilizamos, além de nossas experiências de vida e conhecimento acumulado, desenvolvemos mais ou menos nossas funções cognitivas. É essa plasticidade que faz do cérebro um órgão único e perfeitamente adaptável a cada indivíduo.

A fragilidade e o potencial do cérebro

Praticar neurocirurgia não é o mesmo que operar um apêndice. Assim, muitos estudantes de medicina têm medo de tocar no cérebro. Entretanto, o cérebro é muito mais do que um órgão humano frágil, e tem o incrível poder de aumentar o seu potencial quase que sozinho, porém, ele também pode diminuir sua potencialidade com a mesma velocidade conforme envelhecemos.

Texto relacionado: fique mais inteligente com Intelimax.

Plasticidade cerebral

Após a realização de ressonâncias magnéticas em taxistas de Londres ficou provado que eles possuem um hipocampo mais desenvolvido do que o das outras pessoas. O hipocampo é a parte do cérebro responsável pela memória. Os taxistas londrinos desenvolveram mais essa região porque tiveram de memorizar o mapa das ruas de Londres.

A plasticidade do cérebro resulta de diferentes fatores. Primeiramente, há o papel exercido pelos neurônios, que conseguem se organizar e criar redes neuronais. Quanto mais as pessoas os estimulam, melhora será o desenvolvimento dessas redes e mais confiáveis elas serão. Já a diminuição dos estímulos contribui para o desaparecimento dessas redes.

Experimento de Elizabeth Loftus

Em 1975, a americana Elizabeth Loftus realizou um notável experimento. Nele, um grupo de pessoas assistiu cenas sobre um acidente automobilístico, com dois carros batendo entre si ou apenas um deles colidindo contra algo.

Posteriormente, perguntou-se a esses telespectadores: "A que velocidade vinha os carros quando bateram um contra o outro?". As pessoas disseram que os veículos estavam a cerca de 32 km/h. Esses voluntários também responderam que não haviam vidros quebrados e nenhum ferido na cena.

Em seguida, os pesquisadores fizeram uma pergunta semelhante para outro grupo de pessoas que havia assistido às mesmas cenas: "A que velocidade vinha os carros quando se estraçalharam um contra o outro". Resposta: cerca de 112 km/h. Ao ouvir a pergunta "Tinha algum ferido na cena?", esse grupo respondeu "sim", e que a rua estava "repleta de vidros quebrados”. Portanto, a substituição de uma única palavra na pergunta, nesse caso "bateram" por "estraçalharam" variou e muito a recordação do incidente.

Referências:

http://superinteligente.club/cerebro/

26/06/16

O que comer para ter uma boa noite de sono?

O que comer antes de dormir?

Uma boa noite de sono é fundamental para quem almeja uma boa qualidade de vida. Para isso, o ideal é incluir no jantar alguma fonte de triptofano, como kiwi em flocos, amaranto, sementes de girassol e grão-de-bico. O triptofano é convertido em serotonina, que posteriormente se transforma no hormônio do sono, a melatonina.

Além disso, a ceia (lanche consumido antes de dormir) pode receber algumas preparações ricas em vitaminas e minerais que facilitem o processo de conversão citado anteriormente. Um exemplo é a mistura de banana amassada com aveia e canela em pó. Outra opção consiste em abacate (extremamente concentrado em beta-sitosterol, um indutor do sono) com quinoa em flocos e uma pitada de canela em pó. Como dica final, é interessante que essas refeições sejam acompanhadas por um chá de ervas suscitadora do sono, como passiflora, omulu ou melissa.

26/06/16

Insatisfeito com o tamanho do pênis do seu bofe?

Lipoplastia: você sabe o que é?

A cada dia mais homens recorrem à cirurgia plástica para o aumento peniano. Cerca de 300 a 400 homens iniciam tratamentos estéticos todos os anos. A técnica mais utilizada é a lipoplastia com fatores de crescimento, que consiste em colocar enxertos de tecidos retirados do próprio corpo do paciente. O método não exige internação do paciente e, na maioria das vezes, pode ser executado com anestesia local. A intervenção cirúrgica é feita em três fases.

Basicamente, a primeira etapa consiste em retirar a máxima quantidade de tecido adiposo da região púbica. Depois, esse tecido é criteriosamente aplicado no pênis. Na segunda etapa, passados um ou dois meses, o tecido adiposo abdominal é utilizado para repetir o mesmo procedimento. A terceira etapa é marcada pelo uso do tecido adiposo situado na área dos glúteos ou cintura.

O processo é intercalado porque se faz uso de tecido do próprio paciente. Desse modo, é possível obter melhores resultados em termos volumétricos e de perfeição morfológica. Além disso, qualquer irregularidade notada pode ser melhorada substancialmente no decorrer da segunda etapa. Assim, a terceira etapa é praticamente voltada apenas para o aperfeiçoamento.

Preço da cirurgia

Esse tipo de procedimento custa entre R$ 1.100,00 a R$ 9.300,00. Todo paciente deve receber acompanhamento médico após a operação, além de assinar um documento que o obriga a passar por um monitoramento.

Medidas consideradas

A cirurgia também respeita os limites mínimos e máximos de largura e comprimento. O pênis considerado de tamanho médio tem uma largura de 7 a 9 cm quando flácido, podendo chegar até 14 centímetros quando ereto, e com relação ao comprimento, quando flácido, em média o pênis mede cerca de 7 a 8 cm, podendo chegar a 18 cm quando ereto. Via de regra, ao comparar com o padrão europeu, essa média é de 1 cm a mais no continente africano, e de 1 cm a menos no continente americano.

Texto relacionado: Problemas com a impotência sexual? Descubra Xtrasize.

Condições prévias para realização do procedimento

As condições para a realização da operação são as mesmas necessárias para qualquer ato cirúrgico. Acima de tudo, o paciente deve ser avaliado quanto ao seu aspecto emocional. A parte psicológica é muito importante para que o médico possa verificar qual é a real expectativa do indivíduo. Afinal, o objetivo da cirurgia não é criar anomalias, ou seja, transformar o pênis em um membro exagerado e anormal, e sim deixar o órgão com dimensões consideradas normais.

Indicações da cirurgia

Sexualmente falando, uma das piores situações que pode ocorrer a um jovem é ter uma companheira que reclame sobre o tamanho de seu pênis, considerando-o pequeno para ela.

Além dos homens insatisfeitos com o tamanho do pênis, crianças que apresentem problemas de desenvolvimento ou homens que tenham sido sujeitos à mutilação também podem se submeter à referida cirurgia. A média de idade dos pacientes varia entre 30 e 50 anos.

Retorno da atividade sexual

Três semanas após a operação, a atividade sexual é não só permitida, como aconselhada pelos especialistas. A relação deve ser feita com uso de lubrificantes visando evitar um traumatismo significativo. A prática sexual é incentivada porque atua como um exercício de fisioterapia, proporcionando massagem para a região.

Existem cirurgiões que recomendam a retomada da atividade sexual apenas a partir da quarta semana. Portanto, não existe uma regra rígida a respeito. De modo geral, 21 dias após a cirurgia, o paciente já está em condições de iniciar o ato sexual de forma suave e progressiva.

Uso de produtos duvidosos

Os médicos desaconselham o uso de produtos "milagrosos", muitos deles divulgados na internet, que prometem o aumento da largura e comprimento do pênis. A técnica cirúrgica é mais utilizada devido a seus resultados efetivos e prolongados. Além disso, sua taxa de sucesso ultrapassa os 95%.

22/06/16

Queda de cabelo tem solução?

Principais incômodos físicos nos homens

As pessoas devem cuidar de sua aparência. No caso dos homens, os principais problemas são a formação de olheiras ("bolsas" abaixo dos olhos), desenvolvimento de "papo", deformação do nariz e queda dos cabelos.

Alopecia universal

A alopecia universal é uma doença autoimune que pode afetar qualquer pelo do corpo, inclusive sobrancelhas. Muitos médicos cogitam que essa alopecia é originada pelo estresse.

Alopecia areata

A alopecia areata também é uma doença autoimune que provoca a queda capilar em partes específicas, gerando grandes falhas nos pelos ou cabelos. Nesse caso, os médicos acreditam que a causa possa estar relacionada ao consumo de trigo (sempre considerado em se tratando de problemas autoimunes) e ao estresse.

Influência da dihidrotestosterona sobre a queda de cabelo

O ser humano é programado para morrer. Existem elementos no DNA que nos preparam para isso. O mesmo se aplica aos cabelos, que também são geneticamente programados para algum dia padecerem. A substância intermediária desse processo é a dihidrotestosterona (DHT).

Como controlar a queda de cabelo

Farmacologicamente, só existem duas formas para controlar a queda de cabelo. A primeira delas consiste no uso da solução tópica de Minoxidil, que deve ser aplicada diretamente sobre o cabelo. Cabe observar que "Minoxidil" é o nome químico da substância, utilizado internacionalmente. Evidentemente, os fabricantes podem usar outras denominações.

A segunda forma é por meio do uso da Finasterida. Ambas as substâncias agem sobre a dihidrotestosterona (DHT), hormônio que afina os pelos e atrofia os folículos.

Remédios caseiros para tratar a queda de cabelo

Existe o mito de que o óleo de coco é capaz de criar uma "tampa" sobre o folículo, mas esse efeito não ocorre. Todavia, antes de dormir é recomendável aplicar óleo de coco puro sobre o couro cabeludo.

PRP

O PRP é um sangue rico em plaquetas. Primeiramente, o dermatologista deve extrair o sangue do braço do paciente e o submeter a uma centrifugação. Com isso, o PRP irá se depositar no fundo do tubo de ensaio.

Embora não se saiba exatamente como o PRP age no organismo, ele é injetado diretamente no couro cabeludo. Antes da aplicação, o paciente pode receber um creme no couro cabeludo ou tomar Benzodiazepine para ficar bem relaxado e não sentir dores. Esse procedimento é minimamente invasivo, promove o crescimento capilar e não é caro.

Transplante capilar

A solução definitiva é o transplante capilar, caracterizado pela transferência individual de folículos. Contudo, a cirurgia deve ser feita com cuidado para evitar conceder uma aparência artificial à cabeleira do paciente, além de formação de marcas de cicatrizes na região doadora dos folículos. Nos procedimentos mais modernos são utilizados robôs no processo de retirada dos folículos que serão transplantados.

Cirurgia de retalho

Na chamada cirurgia de retalho, a artéria temporal superficial é completamente percorrida por um ultrassom. Depois, cada retalho da cabeça é erguido e recolocado sobre a parte superior do couro cabeludo que estiver calva. Com isso, é possível retirar uma enorme quantidade de fios que já estão programados para cair. Logo, a aparência do cabelo se tornará mais natural, pois os fios ficarão mais próximos e menos espalhados. Entretanto, trata-se de um procedimento caro, razão pela qual muitas pessoas não realizam esse tratamento.

Texto relacionado: conheça follixin, o número 1 contra a calvície.

Mais sobre mim

imagem de perfil

Arquivo

  1. 2016
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia